You are currently viewing Como Transportar Cargas de Medicamentos

Como Transportar Cargas de Medicamentos

Quando você vai à farmácia e encontra os medicamentos que necessita, você já se perguntou como esse produto chegou até aquele estabelecimento? Isso leva à pergunta: como transportar cargas de medicamentos? 

O transporte rodoviário é uma atividade que envolve muitos processos logísticos, seja de produção, passando por sua armazenagem, seguindo por seu transporte e, finalmente, em sua entrega final, seja nas farmácias ou nos hospitais pelo nosso país. 

Além disso, temos medicamentos que são importados, e os transportadores precisam se atentar à temperatura dessas mercadorias, sendo que estas são sensíveis à temperatura. Se houver problemas nesse controle, os insumos para fabricação desses medicamentos e os próprios medicamentos podem perecer, resultando não somente em prejuízo para o transportador, mas também para o consumidor final, que está esperando o produto. Ainda há o fabricante, que irá demandar seu tempo na produção de um novo produto que era para ter seu processo de entrega finalizado.

Temos diversas regulamentações para o transporte de medicamentos, e seu cumprimento é de responsabilidade de todos. 

Neste artigo, iremos abordar os pontos mais importantes e as regulamentações que devem ser seguidas para que o objetivo seja atingido: transportar cargas de medicamentos com segurança.

Como transportar cargas de medicamentos?

Conforme falamos anteriormente, para transportar cargas de medicamentos temos diversos procedimentos a serem seguidos.

Regulamentação

Para transportar cargas de medicamentos, conforme orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), é necessária a Autorização de Funcionamento (AFE), que é uma permissão para a empresa exercer as atividades com medicamentos ou insumos farmacêuticos e, assim, adquirir o Certificado de Regularidade do Conselho Regional de Farmácia. 

Essa autorização deve ser solicitada antes do início das atividades de:

  • fabricação;
  • distribuição;
  • armazenamento;
  • transporte;
  • importação;
  • exportação.

Para solicitação da AFE, devemos acessar o site da Anvisa e:

  • Providenciar a documentação solicitada pela agência, conhecida como Assunto de Petição;
  • Pagar a Taxa de Fiscalização;
  • Acompanhar a solicitação no site.

Não há um tempo estimado para liberação da licença.

Conforme a Portaria nº 344/98 do Ministério da Saúde, para alguns medicamentos específicos é necessária uma liberação especial, pois são substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial.

Requisitos Legais

Para que o transportador possa exercer suas atividades de transporte, a atividade pede a presença de um farmacêutico, sendo ele o responsável por:

  • Controlar a cadeia de distribuição dos produtos;
  • Promover a orientação das equipes operacionais quanto às boas práticas de transporte;
  • Adequar a empresa para cumprimento da legislação sanitária em vigor.

Temos os procedimentos abaixo, conforme o site da Anvisa:

  • Portaria 1052/98: com a documentação necessária para o transporte;
  • RDC 329/99: decorre sobre o roteiro de inspeção e infrações.

Embalagens

Sempre observar as recomendações contidas na embalagem sobre a temperatura e os cuidados para a sua devida conservação.

Estabilidade

Período de tempo no qual o produto mantém, dentro de limites estabelecidos e sob determinadas condições ambientais, as mesmas características físicas, químicas e farmacológicas, durante seu período de vida útil. Esse espaço representa o período de validade.

Temos produtos farmacêuticos que exigem regras de transporte específicas, como os termolábeis, os oncológicos e as substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial, como os entorpecentes e os psicotrópicos.

Gerenciamento de Risco

Como o tratamento diferenciado com a carga de medicamentos percorre toda a cadeia logística, é de extrema importância que o Gerenciamento de Risco dos procedimentos seja devidamente monitorado por todo o trajeto. Dessa maneira, reduzirá o risco de eventos adversos como acidentes, extravios e roubos.

Em virtude do alto número de roubos de cargas no Brasil, o transportador deve contar com uma apólice na qual o transporte de cargas de medicamentos esteja devidamente autorizado.

Plano de Gerenciamento de Risco (PGR)

O Plano de Gerenciamento de Risco consiste na aplicação das regras da apólice de seguros. Dessa forma, se antecipa e evita eventos negativos. Entre os itens que constam no PGR, destacamos:

Consulta e cadastro de motorista/ajudante

Ferramenta utilizada para análise do perfil. Estando válido pela Gerenciadora de Risco, o colaborador pode realizar suas atividades.

Rastreamento de veículos 

Tecnologia utilizada nos veículos para:

  • Localização dos veículos;

  • Abertura e fechamento do baú em pontos definidos; 

  • Liberação para abertura das portas em pontos pré-determinados;

  • Criação de itinerário pré-definido;

  • Troca de mensagens entre o condutor e a Central de Rastreamento.

 Em caso de qualquer evento adverso aos itens citados, a gerenciadora de risco aciona o seu plano de resposta a sinistros, providenciando:

  • Acionamento de equipamento de Pronta Resposta;
  • Acionamento dos órgãos de Segurança Pública, como o policiamento da região do evento.

Utilização de Iscas

Esses equipamentos são inseridos na carga e, em caso de suspeita de sinistros, são acionados e enviam uma equipe de Pronta Resposta para localização da carga.

Utilização de Escoltas

Escoltas armadas efetuam o acompanhamento do veículo, desde a origem até a finalização do transporte de medicamentos.

Horário de rodagem

Em relação aos horários dos roubos nas estradas, eles se intensificam das 20h às 00h, atingindo o ápice das 4h às 6h.

Treinamento de colaboradores

Parte essencial do processo de Gerenciamento de Risco para transportar cargas de medicamentos. É vital que o treinamento dos envolvidos diretamente na operação logística seja realizado de forma periódica.

O Gerenciamento de Risco é uma ferramenta essencial na operação logística, pois protege a carga e promove a segurança, aumentando a qualidade ao transportar cargas de medicamentos. 

Conclusão

Para êxito das operações, os cuidados devem começar antes do transporte, com o devido cuidado com a carga. 

As embalagens são fundamentais, porque, em diversos casos, utilizamos isopor ou maletas térmicas para melhor conservação da sua temperatura. 

A utilização de veículos adaptados é um dos fatores de sucesso no transporte de medicamentos.

O gerenciamento dos processos logísticos, além do cumprimento das normas e legislações, aliado à utilização de um sistema logístico inteligente e eficaz, garantem que o medicamento chegue ao seu destino final com a mesma qualidade e propriedades que saíram da sua origem.

Agora que você entendeu como transportar cargas de medicamentos, conheça as exigências das seguradoras para o transporte de cargas perigosas!

Deixe um comentário