You are currently viewing Como fazer a Roteirização de Carga?

Como fazer a Roteirização de Carga?

Com um mercado cada vez mais competitivo, em que temos uma maior quantidade de entregas por veículo, qual a importância de uma roteirização bem realizada?

Atualmente, os clientes estão cobrando das suas transportadoras a efetividade do lead time, com acompanhamento do tracking de informações em tempo real e o aumento do transporte através do canal de e-commerce. Você sabia que a roteirização pode te ajudar a reduzir custos?

A partir do momento em que são transportados mais volumes com mais entregas em um mesmo veículo, toda melhoria em cada etapa da cadeia logística pode gerar ótimos resultados. Um planejamento bem realizado aliado a uma tecnologia pode render melhor aproveitamento dos veículos e redução de custos e, dessa forma, atingir o grande objetivo que é o atendimento dos clientes nos prazos estipulados.

Como podemos melhorar a roteirização das entregas, reduzir custos e garantir a satisfação dos clientes?

Com o aumento das vendas pelo e-commerce, como os consumidores não estão próximos aos bens, a importância da logística é ainda maior.

Se a sua empresa está tendo problemas no processo de roteirização e se está sentindo a necessidade de melhoria nos processos, nós podemos te ajudar.

Roteirização de Carga

A roteirização é um tema de extrema importância. Podemos defini-la como o processo para a determinação de um ou mais roteiros ou sequência de paradas a serem cumpridas pelos veículos de uma frota. Essa roteirização pode ser definida pela quantidade de clientes a serem atendidos versus a capacidade cúbica dos veículos e o lead time combinado com o cliente.

Roteirização com utilização de processo manual

A operação logística é muito dinâmica. Com falhas no processo de roteirização, podemos ter aumento de custos se o planejamento não for bem realizado. Antes da entrada da tecnologia através de softwares de roteirização, toda essa etapa era feita de forma manual e considerava os seguintes pontos:

  • Total de volumes disponíveis, seguindo a sequência de recebimento das cargas, da carga mais antiga para a mais nova.
  • Total em cubagem das cargas. Esse cálculo era superficial, dependendo do conhecimento do transportador sobre o material transportado.
  • Diferenciação do tipo de carga. Por exemplo, cargas químicas são classificadas pela regra da ONU na qual não poderá ocorrer a mistura dos materiais.
  • Total da frota disponível por: tipo de veículo e capacidade cúbica dos veículos.
  • Locais de entregas, com suas respectivas particularidades, como: clientes que condicionam as entregas somente aos materiais destinados a ele, ou seja, não permitem que sejam misturados às cargas de outros clientes em razão de suas regras de segurança. Essa situação geralmente ocorre em supermercados.
  • Rodízio imposto pelas Secretarias de Trânsito, sendo: por final da placa do veículo; restrição de horário, segmentado por tipo de veículo; horário de recebimento, seguindo a regra de restrição por localidade; horário de recebimento dos clientes, através de agendamento; horário de entrega condicionado aos horários de condomínios, shoppings, etc.
  • Treinamento para tratamento das cargas, garantindo melhores níveis de carregamento, minimizando riscos de avarias e extravios.

Os itens acima atendem à parte de planejamento, mas a produtividade do motorista, em relação às entregas programadas, é de vital importância para o andamento do processo.

A capacitação dos motoristas é uma das ferramentas para minimizar os prejuízos, pois eles estão com a carga do cliente, bem vital para a conclusão do serviço ofertado.

O motorista e a equipe operacional são o cartão de visita da sua empresa no momento do contato com o seu cliente.

Roteirização com utilização de software

Hoje temos à disposição softwares de roteirização, sendo que os mais modernos calculam situações em tempo real que podem interferir no prazo de entrega, como acidentes, condições climáticas, etc.

Além da redução de custos, os softwares de roteirização, através de uma integração, permitem que essas informações se transformem em Indicadores de Desempenho, gerando melhores resultados para a empresa.

Roteirização e o Gerenciamento de Risco

O Gerenciamento de Risco é inerente às operações logísticas, e isso não seria diferente no processo de roteirização, no qual teremos situações adicionais às descritas nas etapas de roteirização, como:

  • Priorizar as entregas aos clientes finais no horário comercial.

  • Treinar os motoristas, buscando: não falar das cargas; correta utilização dos sistemas de rastreamento; ficarem atentos a veículos suspeitos; e paradas em locais seguros.

  • Evitar saídas das áreas de riscos em horários com maior incidência de roubos.

  • Variação de rotas como medidas de prevenção do roubo de carga.

Aliando a Roteirização ao Gerenciamento de Risco, podemos ter:

Otimização da malha logística

Ao realizar a roteirização da melhor maneira, você poderá obter ganhos porque, do ponto de vista da distância percorrida, uma rota pode ser mais curta que a outra, mas no ponto de vista de desgaste dos veículos e custos decorrentes de pedágios, outro itinerário poderá ser mais benéfico para a empresa.

Monitoramento da frota

As estradas estão sujeitas a situações adversas à normalidade, como acidentes e deslizamentos de terra. Através do Gerenciamento de Risco, a empresa pode monitorar todas as entregas em tempo real, através da integração dos sistemas de rastreamento e utilização de aplicativos para baixa das entregas junto aos clientes.

Satisfação do cliente

Seja com a integração dos sistemas de rastreamento ou com a utilização de aplicativos, o objetivo dessa etapa é de atualizar o tracking de informações de forma correta, garantindo a satisfação dos consumidores.

Com a roteirização ajudando em sua operação logística e trabalhando com o Gerenciamento de Risco, as empresas podem obter vantagens competitivas frente aos desafios do dia a dia.

Saiba como economizar na contratação de seguros para a sua transportadora!

Deixe um comentário