You are currently viewing A importância do Seguro de Transporte no Gerenciamento de Risco

A importância do Seguro de Transporte no Gerenciamento de Risco

Quando falamos de seguro de transporte, quase sempre é impossível desassociar o tema do gerenciamento de risco. Isso porque a ideia de gerenciamento de risco está intrinsecamente ligada a um conceito de proteção da carga e da sua importância na cadeia logística econômica de modo geral.

No entanto, mesmo sendo muito próximos, os temas não se confundem, pois uma coisa é o gerenciamento de risco e outra é o seguro de transporte.

Para entender melhor como essa dinâmica acontece e em que ponto esses dois temas se conectam, é preciso entender o panorama de riscos que cerca o transporte de cargas.

Um panorama dos riscos no transporte de cargas

Qualquer atividade comercial está sujeita a riscos, e com o transporte de cargas não é diferente.

A diferença é que, quando falamos em transporte de cargas, estamos tratando de uma atividade que é intermediária a uma atividade-fim.

Na prática, o transporte de cargas nunca é um fim em si mesmo, ou seja, ninguém contrata uma transportadora simplesmente porque quer ver suas mercadorias deslocadas de um ponto para outro. O objetivo de contratar uma transportadora é vender a mercadoria e, para isso, ela deve estar disponível no local de venda.

Essa natureza de atividade intermediária gera riscos adicionais para a atividade, e esses riscos, além dos naturais da atividade de transporte, é que também devem ser levados em conta quando falamos de gerenciamento de risco.

Essa diferença fica clara, por exemplo, quando comparamos o transporte de cargas com uma atividade de comércio, como uma loja de roupas.

Como todo negócio, a loja possui riscos, como a queda de faturamento, um incêndio, um roubo ou acidentes com seus clientes e funcionários.

Já em uma transportadora esses riscos continuam existindo, porém, além deles, surgem riscos, como atraso na entrega e perda financeira do cliente.

Por isso, mapear esse panorama de risco do transporte é fundamental para aplicar um bom plano de gerenciamento de risco.

São riscos conhecidos do transporte rodoviário de carga: roubo, furto, acidente rodoviário, apropriação indébita da carga, avarias durante o transporte, bloqueio de vias, eventos da natureza, entre outros menores.

A apólice de seguro como instrumento de aplicação do gerenciamento de risco

Dentro desse amplo leque de riscos que recai sobre o transporte de cargas, alguns deles são facilmente transferidos para uma seguradora através de uma apólice de seguro transporte.

Seja quando falamos de apólices para embarcadores ou para transportadores, as que possuem cobertura para roubo, furto ou apropriação indébita da mercadoria estabelecem uma série de regras que devem ser cumpridas pelo segurado para garantir a indenização.

Essas regras são baseadas no histórico de sinistros da seguradora, que possui um grande número de dados passível de se estabelecer estatísticas capazes de prever quais ações possuem uma grande chance de diminuir o risco de a mercadoria ser roubada durante seu trânsito.

Um exemplo disso é a regra estabelecida na maioria das apólices que exige o rastreamento e monitoramento do veículo durante todo o percurso: do ponto de origem ao ponto de destino da entrega.

Já foi comprovado que, através desse gerenciamento de risco, os roubos são facilmente detectados logo que acontecem, permitindo ao segurado ou à empresa contratada por ele, tomar providências para interromper as ações dos criminosos.

Uma vez que a empresa percebe que as ações do motorista não estão condizendo com seu comportamento esperado para a entrega da mercadoria, ela pode tomar atitudes que vão impedir um roubo, como bloquear o caminhão, ativar sirenes ou acionar uma equipe de pronta resposta. Um exemplo de comportamento inesperado do motorista é ele parar repentinamente o veículo em um local que não era programado ou ele mudar a rota previamente estabelecida.

No entanto, não é somente durante um roubo ou furto que o seguro de transporte ajuda o gerenciamento de risco.

Uma boa cláusula de medidas de gerenciamento de risco incluída na apólice prevê, antes de tudo, medidas preventivas de gerenciamento de risco.

Já amplamente aplicada por praticamente todas as seguradoras do mercado, a consulta de motoristas é um desses instrumentos.

Para realizar a consulta de motoristas, o segurado deve contratar uma empresa especializada nesse tipo de serviço e enviar os documentos do motorista. A partir daí, a  empresa se responsabiliza por realizar uma busca sobre a experiência desse profissional.

Após essa busca, essa empresa irá informar ao seu segurado quais cargas ou trajetos são ideais para sua alocação.

Seja pela atuação ativa em um evento em andamento ou, melhor ainda, de forma preventiva, a cláusula de gerenciamento de risco incluída na apólice de seguro transporte é um instrumento de muito valor não só para o segurado e sua operação, mas também para toda a cadeia logística de circulação de mercadorias.

Além do gerenciamento de risco

Mais importante do que cumprir as regras estabelecidas na cláusula de gerenciamento de risco, é entendê-las e discuti-las. Essas são algumas das melhores formas de prevenir sinistros.

Isso porque quem conhece sua operação de transporte melhor do que ninguém é o próprio segurado. Assim, sua colaboração e participação no estabelecimento de regras de gerenciamento de risco é uma forma de torná-lo mais eficiente.

Além de torná-lo mais eficiente, as sugestões do segurado nas regras de gerenciamento de risco também ajudam no resultado da própria operação de transporte. Um segurado, por exemplo, que identifica uma medida muito rígida de gerenciamento de risco para uma operação e uma muito branda para outra, pode sugerir para a seguradora alterar as regras para essas duas operações e, assim, evitar um custo excessivo na primeira e uma proteção deficiente na segunda.

Seja pela obrigatoriedade ou pela análise da operação de transporte de carga, o gerenciamento de risco é um instrumento importantíssimo na proteção de toda a cadeia logística, protegendo sua ponta mais frágil, que é a movimentação das mercadorias.

Estabelecê-lo de maneira eficaz e que realmente forneça a proteção devida é uma forma de tornar a operação do segurado mais segura e rentável.

Saiba quem deve contratar um seguro de carga!

Deixe um comentário