You are currently viewing 9 passos para começar a fazer a importação de mercadorias
Aprenda com essas dicas

9 passos para começar a fazer a importação de mercadorias

Entenda como funciona esse processo e como o seu negócio pode começar a importar mercadorias em acordo com a lei.

Importar mercadorias do exterior para o Brasil pode ser uma alternativa positiva já que assim é possível diversificar o catálogo de produtos e oferecer preços mais competitivos. Mas, para isso, é de extrema importância estar de acordo com as leis e regulamentações. Portanto, se você tem interesse em realizar a importação de produtos do exterior, mas não sabe por onde começar, reunimos um passo a passo completo com 9 passos sobre esse assunto. Continue a leitura.

Para começar a realizar a importação de produtos, é preciso saber se a sua empresa está em condições regulares para esse tipo de transação. Caso ela ainda não esteja, isso pode ser resolvido incluindo no objeto social do CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica) a atividade.

2. Habilitação no sistema Siscomex

O Siscomex (Sistema Integrado do Comércio Exterior), é um sistema que reúne informações sobre operações no comércio exterior tanto para o transportador quanto para os órgãos fiscalizadores. O despacho aduaneiro de importação, por exemplo, deve ser processado por meio da plataforma. Logo, sua empresa estando legalmente preparada, é necessário realizar a habilitação no sistema para ter acesso à plataforma. 

3. Fornecedores estrangeiros

Assim como em qualquer outra transação comercial, é importante contar com a parceria de fornecedores confiáveis e que ofereçam produtos de qualidade. Para escolher, faça pesquisas aprofundadas a fim de evitar problemas futuros.

Leia também: O impacto do preço do combustível na cadeia de distribuição 

4. Cotação para definição da Nomenclatura Comum do Mercosul

Para a importação de produtos também é necessário solicitar uma cotação para definir a NMS (Nomenclatura Comum do Mercosul). Este é um sistema que determina o código para cada mercadoria importada, para o conhecimento sobre os tributos envolvidos na operação que pode ser verificado pelo Siscomex.

5. Planilha de custos

Faça uma planilha de custos para acompanhar todos os investimentos envolvidos na operação da importação. Nela, deve constar todas as informações tributárias do processo para ser avaliado a viabilidade da transação.

Além disso, após a soma de todos esses itens, ainda deve ser acrescido o preço do FOB (Free On Board), valor referente ao produto antes de ser embarcado. Tendo todos esses valores em mãos, você poderá estipular o preço final da mercadoria para a comercialização a fim de obter lucros em cima dessa operação.

Você também pode se interessar: Desafios na logística de transportes

6. Documento de formalização

Com todas as condições de importação estabelecidas, o fornecedor estrangeiro envia a documentação que formaliza a operação. Sendo assim, o documento deve conter os “Incoterms” (do inglês International Commercial Terms, ou em português Termos Internacionais de Comércio).

7. Declaração de importação

A Declaração ou Desembaraço de Importação (DI) é o documento sobre o processo aduaneiro de importação regular de bens e mercadorias realizado junto à Receita Federal do Brasil. Tem como objetivo formalizar as informações relacionadas ao processo de importação em um único documento.

Além dessa declaração, alguns produtos ao chegarem no Brasil, podem exigir o Licenciamento de Importação (LI). Este documento, processado pelo Siscomex, serve para autorizar a importação de produtos ou operações específicas.

8. Liberação da mercadoria

Quando a carga finalmente chega ao país, deve ser registrada a conclusão do processo de conferência e, por fim, a liberação da mesma. Para isso, o importador precisa apresentar alguns documentos, conforme as regras disponibilizadas pela Receita Federal.

9. Contratação do seguro

Para evitar imprevistos na importação, como extravio ou danos, recomenda-se a contratação de um Seguro Internacional de Carga (RCTR-VI) além das apólices obrigatórias.

Com esse seguro, seja ele integral ou parcial, é possível obter a indenização por eventuais perdas ou danos aos produtos importados.

A contratação do RCTR-VI deve ser feita com uma corretora experiente. Assim, sua empresa ou transportadora tem mais tranquilidade no processo logístico internacional, com as apólices pensadas especialmente para às necessidades da sua empresa. Entre em contato conosco e faça a sua cotação.

Deixe um comentário